Postagens

Mostrando postagens de 2008

Instalando o TOra com suporte ao Oracle no Ubuntu

Imagem
Saudações a todos que como eu tiveram problemas para instalar o TOra com suporte ao Oracle no Ubuntu. Como todos já devem saber o TOra - Toolkit for Oracle - não vem habilitado por padrão para esse fim quando o instalamos via pacote .deb (apt-get install tora; aptitude; synaptic...), e o máximo que consegue-se sem ter algum trabalho é configurá-lo para acessar também os sgdbs MySQL, PostgreSQL e ODBC, instalando os pacotes libqt3-mt correspondentes (mas nada de suporte ao Oracle) Isto se dá por questões de licenças de uso! O Qt, como oferece suporte nativo para acesso ao MySQL, PostgeSQL e ODBC (os pacotes libqt3-mt) é bem simples de configurar. Mas no caso do acesso ao Oracle, como depende de um software proprietário (o intantclient da Oracle, no mínimo), a filosofia de software livre que o Ubuntu segue não permite que o mesmo possa ser disponibilizado em seus repositórios, como é o caso do core do TOra. Mas chega de conversa! Vamos por a mão na massa! 1º PASSO: Instalar o Oracle

Tornando o backup de seus bancos de dados Postgres automáticos com a ajuda do crontab

Imagem
Não sou DBA, mas aqui vai uma dica para quem quiser configurar o cron para realizar o backup de suas bases de dados hospedadas no PostgreSQL: A configuração listada abaixo foi testada em um servidor rodando: Ubuntu Server 8.04 PostgreSQL 8.2 Primeiro : Crie um arquivo chamado pg_bkp.sh contendo o seguinte script shell: #!/bin/sh # # ARQUIVO......: pg_bkp.sh # AUTOR........: HELDER VIEIRA # MODIFICADO EM: 2008-09-11 # # Script para backup automatico de bancos de dados hospedados no PostgreSQL. # Este script foi testado na versao 8.2 do Postgres rodando no Ubuntu 8.04, e # para que seja executado automaticamente pelo sistema operacional basta acres- # centar a seguinte linha ao final do crontab (supondo que este arquivo esteja # em /scripts/): # # 00 18 * * * root /scripts/pg_bkp.sh # # PARAMETROS DE CONFIGURACAO # Diretiva: host # # Descricao: # Informa o IP ou nome da maquina onde encontra-se hospedado o servidor # PostgreSQL. # # Default: localhost host=localhost

Como acessar o shell do sistema operacional a partir de um script Python

Imagem
Para executar comandos do sistema operacional a partir de um script python é muito simples. Basta importar um pacote de nome os . O script exemplo abaixo foi produzido e testado em um computador contendo o Ubuntu 8.04 e rodando o python 2.5. Edite um arquivo de texto, usando seu editor favorito, e salve o arquivo com o nome de teste.py . Tal arquivo deverá conter as linhas abaixo: #!/usr/bin/python import os os.system('ls -lh') Dê para teste.py permissões para que o mesmo seja um arquivo executável chmod +x teste.py Agora, abra um terminal no diretório onde você salvou o arquivo e execute-o ./teste.py Deverá ser retornado na saida padrão algo como: helder@helder-laptop:~$ ./teste.py total 358M drwxr-xr-x 8 helder helder 4.0K 2008-07-09 15:08 Desktop drwxr-xr-x 2 helder helder 4.0K 2008-07-10 08:53 Documents drwxr-xr-x 3 helder helder 4.0K 2008-05-31 10:17 Downloads drwxr-xr-x 3 helder helder 4.0K 2008-07-02 15:49 E-books drwxr-xr-x 86 helder helder 12K 2008-06-11 23:09 Mu

Mexendo no workflow do Plone

Imagem
No meu trabalho, a um certo tempo foi solicitada a implantação de uma intranet. Um site interno que o pessoal executivo pudesse classificar as peças produzidas e compartilhar modelos e documentos, entre outras coisas. Daí resolvi instalar o plone para resolver este problema. Acontece que o plone permite, por padrão, que qualquer pessoa - inclusive anônimos - tenham acesso aos conteúdos não privados e não era bem isso que eu queria. O objetivo desta "receita de bolo" é configurar o plone de modo que todo conteúdo seja privado por padrão, os conteúdos marcados como "compartilhados" ficassem disponíveis para usuários registrados e apenas os conteúdos publicados ficassem disponíveis para o público geral. Pondo a mão na massa.... A primeira coisa a fazer é adicionar um novo "estado" para o nosso sistema. Usando guia de navegação à esquerda da ZMI, vá para portal_workflow->plone_workflow->states . Adicione um novo estado chamado shared . Ainda na ZMI

Instalando o Awstats no Ubuntu

Imagem
AWStats é uma ferramenta web open-source para geração de relatórios analíticos, adequado para analisar os dados de Internet, tais como serviços web, streaming media, correio eletrônico e servidores de FTP. AWstats interpreta e analisa arquivos de log do servidor, produzindo relatórios HTML. Os dados são representados nos relatórios visualmente por tabelas e gráficos. Este how-to foi testado utilizando: Ubuntu 7.10 Apache 2.2.4 Perl 5.8.8 mod_perl 2.0.2 Instalando o AWStats Para começar a brincadeira, abra uma sessão do terminal e execute os seguintes comandos: $ sudo apt-get install awstats $ sudo cp -r /usr/share/doc/awstats/examples /usr/local/awstats $ sudo cd /usr/local/awstats $ sudo mkdir wwwroot $ sudo mkdir wwwroot/cgi-bin $ sudo gunzip awstats.model.conf.gz $ sudo mv awstats.model.conf wwwroot/cgi-bin $ sudo ./awstats_configure.pl O último comando executado é um script responsável por gerar um arquivo de configuração que será utilizado na criação dos relatórios. Ele far