Postagens

Mostrando postagens de 2011

Tópico Entendendo o buildout.cfg do Manual do Desenvolvedor Plone traduzido para o Português

Como gerenciar o arquivo principal de configuração do buildout


Nota importante: Este documento se aplica ao Plone 3.2 ou superior. Em versões do Plone anteriores a 3.2, o arquivo padrão do buidout.cfg era significativamente diferente porque o Plone não era totalmente eggficado.

buildout.cfg é o arquivo mais importante em seu novo ambiente de buildout. Veja como ele se parece:

[buildout] parts = zope2 productdistros instance zopepy # Modifique o numero aqui, e no find-links abaixo, para alterar a versão # do Plone que será utilizado extends = http://dist.plone.org/release/3.3.5/versions.cfg versions = versions # Adicione aqui fontes adicionais para download de eggs (repositórios). # O repositório dist.plone.org contém os arquivos de pacotes do Plone. find-links = http://dist.plone.org/release/3.3.5 http://dist.plone.org/thirdparty # Acrescente eggs adicionais aqui. eggs = # Referencie quaisquer eggs que esteja desenvolvendo aqui, um por linha # por exemp…

Soluções Livres adotadas pela Procuradoria Geral do Estado da Paraíba.

Desde 2007 a Procuradoria Geral do Estado da Paraíba tem optado preferencialmente por soluções livres de licenciamento para atender suas necessidades por sistemas e ferramentas baseadas em computador. Tem como objetivo gerar economia para o estado com a aquisição de tais licenças e melhorar a segurança da rede interna da PGE/PB.

A aplicação de tal política naturalmente iniciou-se pelos programas utilizados nos servidores, que são os computadores centrais que compartilham recursos e serviços acessados pelos usuários através de interfaces gráficas geradas por aplicativos nas estações de trabalho (máquinas clientes) de forma transparente, isto é, sem que o usuário perceba que programa está fornecendo tal serviço ou recurso, o que praticamente não gera impacto para os usuários. Logo, a primeira solução livre implantada na instituição foi o sistema operacional para acionar os servidores. Para tanto foi escolhido o Ubuntu Linux, devido a familiaridade dos técnicos lotados na Sub-gerência d…

PGE/PB já economizou mais de R$ 1 mi com uso de Software Livre

Imagem
A Procuradoria Geral do Estado da Paraíba (PGE/PB), por meio da Sub Gerência de Tecnologia da Informação (SGTI), há quase cinco anos instituiu a utilização de programas de computador livres de licenciamento – também conhecidos como software livre -, que além de proporcionar economia mensal de mais de R$ 15 mil (esse valor é relativo apenas a solução de gestão de processos), a migração dos sistemas operacionais e aplicativos utilizados no ambiente de trabalho tem proporcionado um ganho à segurança sem a necessidade de contratação de caras ferramentas de antivírus.

Segundo o gerente da SGTI, Guido Giuseppe, cedido pela CODATA à PGE/PB, a implantação dos programas de software livre iniciou há quase cinco anos, inspirado na política do governo federal, tendo em vista o corte de gastos com a aquisição de computadores, economizando os valores relativos ao licenciamento de produtos como sistemas operacionais, suítes de escritório, antivírus, entre outros.

“O objetivo era o de melhorar a segur…

100% Linux na Procuradoria Geral do Estado da Paraíba

Imagem
Há aproximadamente quatro anos foi instituída na Procuradoria Geral do Estado da Paraíba uma política para utilizar preferencialmente programas de computador livres de licenciamento – também conhecidos como software livre – inspirado na política do governo federal, tendo em vista o corte de gastos com a aquisição de computadores, economizando os valores relativos às aquisições das licenças de uso de produtos como sistemas operacionais, suítes de escritório, antivírus, entre outros. E visando também melhorar a segurança da rede interna da PGE/PB uma vez que computadores acionados por Linux são reconhecidamente mais resistentes a infestações por vírus e/ou vermes.

Foi feito um estudo que levou a conclusão que os usuários da PGE/PB basicamente utilizam o computador para editar textos e navegar na Internet. Então, o primeiro passo para a migração foi substituir as suítes de escritório e os navegadores web nos computadores dos usuários. Onde havia, por exemplo, uma instalação do MS-Office®…